ARTIGOS

DESTINOS TURÍSTICOS

 

Destinos Turísticos

A competitividade nos meios de hospedagens no Brasil é que define os ganhadores em um mercado em constante expansão. Um hotel possui muitas particularidades que o torna único na economia, pois é um produto intangível que só é no momento de sua aquisição; não é divisível, pois como produto/serviços é produzido e consumido simultaneamente; existe variação constante na qualidade do produto/serviços; ha interdependência do produto turístico e o fato de ser perecível, pois se extingue no momento seguinte em que se conclui sua vivencia: um apartamento dorme vazio, nunca mais é recuperado.

A eficiência operacional e inteligência competitiva devem ser pensadas conjuntamente para se construir produtos, muitas vezes quebrando paradigmas para se atingir o sucesso. Em muitos casos se faz necessário mexer na cultura local para que a população entenda a importância de ser “Hospitaleiro”, ou seja: receber bem, acolher, respeitar tanto o turista doméstico como o estrangeiro, este último então merece mais atenção pois com certeza tem uma formação cultural e social muito adversa da nossa. É preciso que fique claro que o Turismo é um negócio e como tal deve ser tratado para gerar melhoria na qualidade de vida de todos os envolvidos.

Existem, por exemplo, algumas novas tendências de consumo, como as viagens inspiracionais. É um movimento cada vez mais forte. Há pessoas baseando suas tendências de consumo em experiências inovadoras, mas para isto necessitam muita pesquisa e compartilhamento de seus sonhos. Fundamental que possamos desenvolver ferramentas que viabilizem nossa percepção a respeito desta tendência, e assim possamos criar novos destinos turísticos e melhorar os já existentes.

A implantação de um cluster (fórum) é fundamental para fomentar um destino, como existe em Gramado (RS) e Costa do Sauipe (BA) por exemplo, cases de sucesso no Brasil na captação de turistas. E como estes, vários outros destinos podem e devem ser fomentados para que possamos viabilizar um desenvolvimento econômico/social mais robusto e sustentável.  Não devemos e não podemos simplesmente esperar que o Poder Público se manifeste, nosso empresariado tem ferramentas e competências suficientes para tal ação.

Armando Lardosa